40 ANTES DOS 40

Silvinha é uma viajante com uma história incrível! Ela se descreve como “uma caipirinha lá do interior do Paraná, que fala porrrrrrta, porrrrteira e porrrrtão.” De família muito simples, a mãe lutou muito para criar as filhas, pois o pai  era alcoólotra e violento, morreu de cirrose. . Ela tinha o sonho de conhecer o mundo, então após se formar em direito, mudou para Espanha no intuito de começar a realização desse sonho. Lá conheceu um catalão, com quem teve um relacionamento “abusivo” do qual não guarda boas lembranças. Ao invés de ficar presa a essa dor, ela criou o projeto 40 ANTES DOS 40 com o objetivo de conhecer 40 países antes dos 40 anos.

Quando começou o projeto 40 antes dos 40?

Esse projeto começou em uma loucura da minha cabeça, em um momento de muita dor na minha vida. Eu havia acabado de sair de um relacionamento abusivo, e meio que inspirada no livro Comer, Rezar e Amar, eu fui parar em Roma. Lá meu deu um click e decidi que queria fazer algo de mim pra mim e que não entrasse homem na jogada. Eu estava com 36 anos, e decidi que queria conhecer 40 países antes dos 40 anos. Assim começou.

Como foi tomar a decisão?

A decisão foi uma coisa meio na loucura, eu estava em um momento de muita difícil, sai da casa onde morávamos apenas com duas malas e muita dor. A dor era tamanha que eu não fiquei pensando muito se iria conseguir ou não. Foi aquilo, eu estava no fundo do poço, e no fundo do meu poço tinha um passaporte. Assim foi a decisão. Era aquilo ou ficar ali sofrendo. Isso mudou minha vida por completo.

Não existiu etapa de planejamento, foi tudo muito louco, foi uma espécie de fuga minha daquela situação, uma fuga que deu certo.

Você juntou dinheiro para essa viagem? Como foi isso?

Eu tinha umas economias que juntei a vida toda, com esse dinheiro dei o primeiro passo. Depois, fui trabalhando no que dava, no que aparecia. Babá, limpeza, em fábricas. Chegava a trabalhar 14 horas diárias, sempre economizando ao máximo pra conseguir viajar.

Sei como é, já fizemos muito isso também rsrsr Como você faz com dinheiro durante a viagem?

Eu tenho que ser bem econômica nas minhas viagens, sempre espero promoções de passagens, de hospedagem, de tudo, a única coisa que não economizo é entrada a museus. Eu adoro museus, e muitas vezes são caras as entradas. Por exemplo, uma vez fui de Dublin a Edimburgo por $11.00 ida e volta, peguei uma super promoção, e lá paguei $25.00 pra entrar no Castelo de Edimburgo. Saiu mais caro que as passagens.

Qual foi a reação da família e dos amigos aqui no Brasil quando anunciou o projeto?

Acho que no começo ninguém me levava a sério, depois começou a cobrança para ter uma vida mais estável. Casa, trabalho etc. Mas eu sei que muita gente não entende essa minha paixão por viajar. Mas acho que quem mais sofre com isso é minha mãe. Até hoje, ela não aceita que eu estou fora. E por ser mulher, acho que não só amigos e família, mas a sociedade em geral, cobra da gente que a uma certa idade você tenha que estar casada e com filhos etc, mas penso que cada um tem que seguir seu caminho, sem pensar muito no que a sociedade diz.

Você já tinha um roteiro pré-definido? Como foi a escolha dos países?

Nunca tive, como expliquei antes, vou levada pelas promoções. Eu tenho uma lista de países que quero visitar, mas como sempre tento economizar ao máximo, vou em função de quando está mais barato mesmo.

Quanto tempo ainda pretende ficar fora?

Eu já criei raízes aqui, há pouco consegui minha nacionalidade espanhola, então vou ficar por aqui mesmo. Mas como a vida é uma caixinha de surpresas, quem sabe depois dos 40 países eu volte pra terrinha.

Qual foi o lugar que você mais gostou até agora?

Eu sou tão viciada em viagem que não tenho um preferido. Eu sou daquelas que me encanto desde uma visita a uma cidadezinha pequena até uma grande capital.

Com é para uma mulher estar viajando sozinha?

Eu sempre digo que se estamos viajando sozinhas, temos que ter um pouco mais de cuidado. Mas vai depender muito de pra onde você está indo. Mas penso que mulher pode e deve viajar sozinha quando ela quiser.

Concordo! Qual foi o maior perrengue da viagem até agora?

Perrengue a gente passa toda hora, é o preço que a gente paga. São desde questões burocráticas, até a questão financeira etc. É tanto perrengue que fica até difícil escolher um. (risos)

Qual foi o maior susto?

A gente passa por alguns, né? Já fui roubada em Paris, roubaram minha carteira lá. Me perdi no interior da Republica Checa uma vez, mas acho que o maior foi quando um homem me levou pra dentro da loja dele no Grande Mercado em Istambul. Ele meio que queria me beijar lá dentro. Graças a Deus não aconteceu nada, mas foi uma situação bem complicada. 

Nossa, imagino. E a maior surpresa?

Uma vez, em Dublin, em um pub perto da minha casa, sentou um cara do meu lado, e ficou conversando comigo. Eu via que as pessoas estavam me olhando, mas não sabia o porquê. Nós ficamos conversando sobre as coisas mais idiotas do mundo. Ai ele foi embora e eu fiquei. Ai um cara que trabalhava no pub me perguntou se eu sabia quem era aquela pessoa, e eu disse que não. Ele me disse que tinha percebido que eu não sabia quem era, e me disse que ele era o Hozier. Um cantor super famoso. Eu comecei a rir porque já tinha escutado as musicas dele, mas não tinha a menor ideia de que aquele cara ali do meu lado, jogando conversa fora era uma pessoa famosa.

Você está fazendo um mochilão, né? Como você faz com a hospedagem?

Depende muito. Uso muito o Airb&B, mas também fico muito em hostel. O conselho pra isso é sempre ficar em uma hospedagem central e de fácil acesso, para não gastar muito com transporte, taxi etc.

Viajar é uma escola. Quais foram os maiores aprendizados dessa experiência?

O aprendizado é diário. A gente aprende tanto viajando que é algo inexplicável. Hoje, se eu olhar pra Silvinha antes de começar a viajar, é uma pessoa totalmente diferente da pessoa do hoje. A gente cresce como pessoa viajando.

Quais paradigmas foram quebrados na sua vida depois de tudo o que você viveu até agora?

Muitos. Essa transformação que acontece com a gente faz com que os paradigmas sejam quebrados constantemente. Viajar abre nossa mente para mundo.

O que você diria para quem está sonhando com uma viagem como essa?

Faça a mala! Se jogue na estrada. Vai sem medo. Não fique pensando muito porque o tempo passa voando.

Atenção!

Silvinha está participando de uma promoção da LATAM  onde os 10 primeiros lugares ganham uma viagem para três destinos da América Latina, ela já está entre os 20 e a promoção acaba em 19/03. Pra ajuda-la basta entrar no link abaixo e clicar em ME GUSTA . 

https://www.lan.com/destinosudamerica/concurso2017/participante/lTeo6Eka8C/

Uma vez, quanod estávamos atravesando o deserto de Negev em Israel, paramos em uma tenda beduína onde nos trataram como reis. Foi uma experiência incrível! Eles era nômades e nos explicaram que sempre recebiam todos da forma como gostariam de ser recebidos em suas viagens, e assim, todos poderiam viajar bem. Vamos ajudar a Silvinha em sua viagem, hoje estamos ajudando ela, amanhã podemos estar recebendo ajuda do "universo" em nossas.

Para acompanhar o projeto

 40 ANTES DOS 40

 
          SITE:  https://40antesdos40.com/
          FACEBOOK: https://www.facebook.com/quarentaantesdos40/